Concreto Usinado: vantagens e desvantagens em comparação ao concreto virado em obra


Caminhão da Engemix

Concreto usinado também conhecido como concreto dosado em central (CDC),  é caracterizado por fabricar produtos que possuem propriedades cimentícias  com misturas em equipamentos diferenciados. 

Esses geralmente estão em canteiros de obra, nos grandes centros das cidades ou nas indústrias, conhecidos como centrais de concreto. Essas centrais podem ser dosadoras, na qual o material é misturado em caminhão betoneira ou misturadora onde os materiais constituintes do concreto (MCC) são homogeneizados pela própria central, sendo transportado por veículos dotados ou não de agitação (ABNT NBR 7112-2021).  

concreto dosado em central é feito de forma controlada e inspecionada. Com isso, o produto melhora o desempenho, durabilidade para as estruturas na obra, segurança da edificação, além de gerar uma economia visto que os insumos são monitorados. Desta forma, espera-se que a qualidade do concreto usinado seja melhor do que a do concreto virado em obra.  

Quando a obra possui um planejamento para aumentar a qualidade, produtividade, redução de prazos e custos, o concreto usinado é uma das melhores opções. Contudo, é necessário contabilizar o quanto de volume de concreto será aplicado, isto é, quantos metros cúbicos (m3) serão necessários, ou ainda, coloquialmente falando: cubar as peças para verificar a quantidade precisa de material.  

Ademais, é importante realizar um plano de concretagem com a concreteiraa fim de alinhar qual o volume de concreto que deve ser entregue em cada caminhão betoneira (CB), o intervalo de entrega entre eles, o horário de início de fornecimento e a forma de lançamento – convencional ou bombeado.  

Além disso, outras características devem ser levadas em consideração, segundo a norma brasileira, (ABNT) 7212, revisada este ano:  

  • Fck : capacidade do concreto resistir à compressão que normalmente é expressa em MPa;  
  • Slump: uma medida de trabalhabilidade que verifica as condições de consistência do concreto, a fim de avaliar se ele está apto para ser lançado e adensado;  
  • Características físicas dos agregados graúdos (dimensões ou diâmetro máximo dos grãos): verificar se o concreto está com a maior brita em consonância com a taxa de armadura (abertura do vão entre as ferragens);  
  • Classe de agressividade: está diretamente ligado ao ambiente onde o concreto será aplicado, dependendo da classe de agressividade o concreto apresenta características diferentes, como a/c (fator água/cimento), consumo de cimento entre outros. 

Após realizado a especificação do concreto, quantificado o volume e discutido plano de concretagem, alguns cuidados devem ser tomados no recebimento do concreto dosado em central, a fim de minimizar problemas futuros: 

  • Conferir a nota fiscal e verificar se o volume e a resistência característica conferem com o pedido de compra.  
  • Conferir o lacre do caminhão, sua integridade – na qual é a forma de avaliar se não ocorreu descarga de concreto durante o percurso da central até a obra.  
  • Constatar a consistência do concreto através do ensaio de abatimento do tronco de cone (slump). Este ensaio é importante pois é através dele que se avalia a quantidade de água existente no concreto, comparando com a especificação. 

Os parâmetros solicitados para confecção do concreto devem ser seguidos, principalmente o item da composição dos materiais constituintes do concreto – água, pois sua falta dificulta a aplicação do produto, propiciando a ocorrência de bicheiras na estrutura. Já o seu excesso, apesar de facilitar a aplicação, reduz a resistência e pode causar exsudação na peça. 

Concreto dosado em central ou Concreto virado em obra? 

Muitos engenheiros de obra ainda possuem dúvidas se o preço do concreto dosado central (CDC) sairá mais econômico do que todo o processo do concreto virado em obra (CVO).   

Um dos primeiros itens para tirar a dúvida é conhecer uma concreteira e escolher a que melhor atende as necessidades da obra, ou seja, conhecer a configuração jurídica da empresa, o tempo de funcionamento, a experiência de mercado, quem são seus clientes e o atendimento à outras obras.  

Em seguida, verificar as condições dos equipamentos que a empresa utiliza; a conservação dos caminhões betoneiras, das bombas lanças; a automação da usina de concreto, visto que é um elemento que deve ser levantado, além de saber se possui certificados de aferições das balanças de pesagem. Por último, analisar também o controle do MCC para dosagem da carga de concreto que está parcialmente nesses equipamentos.

Dica: não esqueça de verificar a localização da central em relação a obra.

Vantagens e Desvantagens do concreto dosado em obra

Sobre as vantagens, podemos citar: 

  • Diminuição da mão de obra no canteiro;  
  • Ganho de espaço, eliminando a estocagem de materiais;  
  • Menor tempo de aplicação, quando comparado com o concreto virado em obra, pois o concreto já vem pronto da usina;  
  • Menor desperdício de material, pois não se faz estoque de areia, brita e cimento (mcc);  
  • A qualidade final, quando bem executado é muito superior ao processo manual. 

Por outro lado, há desvantagens: 

  • É necessário planejar com antecedência para evitar problema com o prazo de entrega;  
  • Quando o local da obra é muito distante da concreteira pode ocorrer dificuldades na qualidade e atrasos do concreto;  
  • Quando o volume (m3) é muito pequeno, geralmente menor que 2 m3, torna o custo e a aplicação inviáveis. 

No fim das contas, mesmo que os equipamentos e técnicas de trabalho utilizadas no canteiro de obras tenham suas inovações, a maioria dos engenheiros buscam economia de tempo, agilidade, organização que denominam ganho e economia de custos. 

Engemix tem a experiência necessária para entregar o melhor concreto para sua obra.